fbpx

Pacarrete – 2019 (97′) 

Direção: Allan Deberton 

Roteiro: Allan Deberton, André Araújo, Samuel Brasileiro, Natália Maia 

Produção: Deberton Filmes 

Direção de fotografia: Beto Martins 

Música: Fred Silveira 

Elenco: Marcélia Cartaxo, João Miguel, Soia Lira, Zezita Matos, Samya de Lavor, Débora Ingrid, Edneia Tutti Quinto, Rodger Rogério 

Vencedor de 8 prêmios de 14 indicações, incluindo os de melhor filme, direção e atriz principal,“Pacarrete” é inspirado em uma história real. O caso da ex-bailarina e professora de dança clássica que por ocasião do bicentenário de sua cidade natal – para onde retornou após os sucessos em Fortaleza – quer oferecer uma última apresentação aos seus concidadãos, retoma uma história que Deberton conhece bem. Ele, também de Russas, cidade do interior do Ceará onde o filme se passa, lembrou-se de como o nome “Pacarrete” – com o qual era conhecida a artista aqui retratada – era usado pelas pessoas para indicar algo “diferente” e “louco”.

Neste filme agridoce, onde o timing do drama e da comédia são sabiamente dosados ​​por Deberton, no seu primeiro longa-metragem, a história individual de uma excentricidade marginalizada pela indiferença e pelo conformismo social acaba assim por assumir um carácter universal, alegoria da resistência que a arte e a fidelidade a si mesmo podem assumir diante da incompreensão e dos (pré) julgamentos sumários. A simplicidade da história se desdobra segundo modos e formas que constituem um patrimônio adquirido de uma precisa linha de tendência do cinema brasileiro, que vê seus pilares no “regionalismo” e nos toques de realismo mágico (com ambições poéticas), com frequentes transições entre ironia e melancolia.

Marcélia Cartaxo, com a sua interpretação, carrega literalmente o filme nos ombros, trazendo as nuances e sobressaltos de uma personagem nem sempre fácil, que vive numa outra dimensão (vide a recusa de aplicar as novas tecnologias aos videocassetes e vinis da sua música, o culto das emissões de rádio) sem renunciar, porém, entre explosões de raiva e balés chaplinianos, a manter aberto um canal de comunicação com o mundo ao seu redor. 

 Marco Palazzini

Filme  em cartaz no dia 8 de  julho 2022 – Multisala Eliseo